domingo, 4 de setembro de 2011

Carta de Lord Castlereagh, Secretário de Estado da Guerra do Governo britânico, ao General Hew Dalrymple (4 de Setembro de 1808)





Esboço*.



Downing Street, 4 de Setembro de 1808.



Senhor:

Não posso permitir que a minha carta oficial de hoje parta sem incomodar-vos com algumas linhas, a fim de declarar confidencial e privadamente o estado sincero dos sentimentos do Governo sobre a comunicação do senhor Sousa.
Não podemos certamente dar qualquer crédito aos papéis que ele transmitiu**; e ainda estamos incapazes de compreender a ideia errada que lhe foi imposta. O acordo parece-nos muito mais vantajoso para os franceses do que alguma vez poderiam pretender reivindicar;  ainda que seja este o caso, estamos inclinados a não lhe dar crédito; porém, os termos, tal como se referem a Portugal, bem como ao sacrifício gratuito da frota russa, não para a Rússia, mas para a França - pois só a França poderia tirar proveito de tal estipulação - tornam improvável, no nosso julgamento, que [os ingleses] tenham anuído a tais proposições; e apenas podemos supor que o General Kellermann talvez tivesse avançado com tal papel enquanto primeiro projecto, e que, enquanto tal, pudesse ter sido autentificado pelas assinaturas que nele estão inscritas. Resumindo, é difícil pensar sobre este assunto na sua forma actual, e espero que em breve sejamos libertados da tarefa de nos esforçarmos para resolver este enigma, que o ministro português [D. Domingos de Sousa Coutinho], com a declaração das pretensões mais injustificáveis da parte da sua corte, induziram-me a transmitir-vos, juntamente com a resposta que ele recebeu do senhor Canning
Tenho a honra de ser, etc.,

Castlereagh

[Fonte: Charles William Vane (org.), Correspondence, Despatches, and other Papers of Viscount Castlereagh, second Marquess of Londonderry – Vol. VI, London, William Shoberl Publisher, 1851, p. 425]. 


_______________________________________________________________

Notas:

Na edição que consultámos para a presente tradução, indica-se que este documento é um esboço [draft], e assim sendo ignoramos se Castlereagh o chegou a enviar, ipsis verbis, ao seu destinatário. 

** Como se percebe pela nota oficial de D. Domingos de Sousa Coutinho a George Canning e pela resposta deste último, entre os diversos documentos que o referido embaixador de Portugal em Londres apresentou à Secretaria dos Negócios Estrangeiros da Grã-Bretanha, no dia 3 de Setembro, encontravam-se pelo menos os seguintes (aqui ordenados por ordem cronológica):

Sem comentários:

Enviar um comentário