sábado, 3 de setembro de 2011

Carta secreta do General Dalrymple a Lord Castlereagh, Secretário de Estado da Guerra do Governo britânico (3 de Setembro de 1808)



Quartel-General de Sintra, 3 de Setembro de 1808 


Meu Senhor:

Logo depois que se concluiu o acordo para uma suspensão de armas, mandei uma cópia ao General Freire, que comanda o exército português, e bem depressa conheci, tanto pelo seu modo, na primeira visita, como por uma conversação que tive com o Major Aires Pinto de Sousa, um oficial de sua confiança, que mandou residir, por algum tempo, no meu Quartel-General, que havia alguma coisa de enfado; e eu suspeito ser que o Governo provisional do Porto não foi de forma alguma lembrado nesta transacção. Sem entrar muito profundamente neste delicado objecto, era fácil o demonstrar que a convenção, de sua natureza uma medida militar entre os comandantes dos exércitos opostos, e que não se referiam aos Governos francês ou inglês; e que o Duque de Abrantes não era exactamente a pessoa a quem eu me dispusesse a submeter a questão da pretensão da Junta do Porto ao Governo de Portugal; mostrei contudo o meu desejo de que, se o General tinha algumas observações a fazer sobre os artigos que haviam [de] formar a base da convenção ou algumas estipulações a propor, que o fizesse por escrito sem perca de tempo. Isto nunca o General fez, ainda que, mais de uma vez, entrei na matéria com o Major Aires Pinto de Sousa; e tudo continuava sem asperezas até que a convenção se concluiu, quando repentinamente percebi no rosto e maneiras daquele oficial visíveis sinais de descontentamento. 
Tenho a honra de incluir para a informação de Vossa Senhoria a correspondência que ultimamente houve sobre esta matéria, que explica os alegados motivos de queixa, assim como a sua justiça. Eu disse motivos alegados; porque eles certamente diferem materialmente do que o senhor Pinto de Sousa exprimiu em sua conversação, na última vez que falámos, etc., etc., etc. 


[Esta carta incluía os seguintes documentos: 


[Fonte: Correio Braziliense, Londres, Maio de 1809, pp. 425-426; Simão José da Luz Soriano, História da Guerra Civil e do Estabelecimento do Governo Parlamentar em Portugal. Compreendendo a História Diplomática, Militar e Política deste Reino, desde 1777 até 1834 – Segunda Época - Tomo V – Parte I, Lisboa, Imprensa Nacional, 1893, pp. 216-217].

Sem comentários:

Enviar um comentário