sábado, 3 de setembro de 2011

Carta do Tenente-Coronel Proby ao Capitão Dalrymple (3 de Setembro de 1808)





Lisboa, 3 de Setembro de 1808.




Caro Senhor:


Rogo que informeis Sua Excelência o Comandante em Chefe [General Dalrymple] que o General Junot deseja que me comunique com o General Kellermann sobre todos os assuntos relacionados com a execução da Convenção. A primeira divisão das tropas francesas está pronta para embarcar, e pensei que tinha o dever de comunicar imediatamente esta informação ao Almirante [Charles Cotton], e sem esperar pelo relatório detalhado que tinha pedido, acerca das tropas, cavalos da artilharia, e equipamentos de todo o tipo que os franceses tencionam embarcar. Submeti ao Almirante, ao mesmo tempo, a justeza de enviar um Oficial da marinha para supervisionar o embarque, e para responder a todas as questões que se colocam sobre este assunto.
Fiz pressão para que os prisioneiros espanhóis fossem libertados imediatamente; e fui informado pelo General Kellermann que existe um acordo privado entre ele e o Coronel Murray, segundo o qual estas tropas não serão desembarcadas na margem norte do Tejo, e que também não serão libertadas antes da entrada das tropas britânicas em Lisboa. Rogo instruções adicionais sobre este assunto; entretanto, pedi ao Comissário para inquirir quais são os artigos de equipamento que estas tropas necessitam, e para fazer todos os outros ajustes necessários para a sua marcha para Madrid, se tal for o ponto para onde o Comandante em Chefe julgar apropriado enviá-las. Ainda não vi o seu Comandante, mas o General Kellermann prometeu-me que mo enviaria imediatamente. 
O General Junot desejou saber, através de mim, se lhe seria dada permissão para apropriar-se de cinco navios dinamarqueses que estão agora no rio, nos quais seriam acolhidas as suas propriedades pessoais. Considero que a decisão desta questão deve pertencer mais apropriadamente à Marinha; porém, por quanto o exército está comprometido, respondi pela negativa, porque a única menção a transportes adicionais que consta na Convenção surge no seu 6.º artigo, e entendo que tal se aplica unicamente aos transportes de cavalos. O General Kellermann também reivindica os benefícios de um acordo privado com o Coronel Murray sobre esta questão.
Espero ser informado assim que Sua Excelência determinar o dia em que as guarnições devem ser rendidas. O sr. Kennedy encarregou-se de fazer os ajustes necessários para a sua subsistência durante a marcha. 
Assim que receber os relatórios das tropas francesas que me foram prometidos, transmitir-lhos-ei ao conhecimento do Comandante em Chefe, remetendo ao mesmo tempo uma cópia ao Almirante.
O General Kellermann deseja que informe o Comandante em Chefe que ele sente uma grande apreensão sobre os ultrajes que a populaça talvez cometa, durante o dia que se fixar para o embarque da segunda divisão das tropas francesas, e espera que as tropas britânicas que tomarem posse de Lisboa não sejam menos de 10.000 homens, e que entrarão na cidade antes dos franceses estarem embarcados.
Forneceram-me aqui uma cópia do tratado.
Sendo sempre, meu caro Senhor, muito sinceramente vosso,

Proby,
Tenente-Coronel



Sem comentários:

Enviar um comentário