quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Carta do Bispo do Porto ao General Bernardim Freire de Andrade (1 de Setembro de 1808)



Ilustríssimo e Excelentíssimo Senhor:



Tenho recebido com toda a satisfação dois ofícios de Vossa Excelência [de 25 e de 27 de Agosto], em que me referia as notícias relativas às operações do Exército, pelas quais dou muitas graças a Deus Nosso Senhor, e às actuais circunstâncias do Exército, o qual ainda me deve necessariamente um grande cuidado, assim pela incerteza dos futuros sucessos, como também pela sua conservação e subsistência, visto que de Inglaterra somente veio a metade do que se pedia. Achei muito bem obstado os preliminares da Capitulação, porque eram para nós de grande prejuízo*. Muito bem me parece que se adiante Bacelar para o fim que Vossa Excelência me participa. 
Remeto a promoção em que me fala**, e a Junta do Supremo Governo passa as ordens necessárias a respeito de dinheiro.
Deus guarde a Vossa Excelência muitos anos.
Porto, 1 de Setembro de 1808.

De Vossa Excelência amigo obsequioso e obrigado,
Bispo Presidente e Governador.

[Fonte: Luís Henrique Pacheco Simões (org.), "Serie chronologica da correspondencia diplomatica militar mais importante do General Bernardim Freire de Andrade, Commandante em Chefe do Exercito Portuguez destinado ao resgate de Lisboa com a Junta Provisional do Governo Supremo estabelecido na cidade do Porto e o Quartel General do Exercito Auxiliar de S. Magestade Britanica em Portugal", in Boletim do Arquivo Histórico Militar - Vol. I, Lisboa, 1930, pp. 153-227, p. 224 (doc. 56)].
_____________________________________________________________

Notas: 

* Note-se que o Bispo do Porto refere-se tão somente aos artigos do Armistício, e não aos da Convenção definitiva, que entretanto já tinha sido assinada, mas cuja notícia só chegaria ao Porto no dia 3 de Setembro.

*Na carta de 27 de Agosto, Bernardim Freire de Andrade alertava ao Bispo que era necessário nomear um Governador para a província do Alentejo, cargo que a Junta do Porto decidiu confiar, interinamente, ao Conde Monteiro Mor.


Sem comentários:

Enviar um comentário