sábado, 11 de junho de 2011

Primeira proclamação do novo rei de Espanha, D. José Bonaparte (11 de Junho de 1808)


D. José, pela graça de Deus, Rei da Espanha, Maiorca, Minorca, Gibraltar, do Continente da América, Ilhas, etc., etc., etc.

Aos Vice-Reis, Capitães-Generais, Governadores, Corregedores, e a todos os outros oficiais civis e militares, de qualquer denominação que sejam, e a todos os habitantes dos domínios da Espanha nas Índias Orientais e Ocidentais, faço saber que:
Em virtude dos Tratados de 5 e 10 de Maio [...] passado, pelos quais El-Rei Carlos IV e os Príncipes de sua Casa formalmente resignaram todo o direito e título à Coroa de Espanha e todos os domínios que lhe pertencem, a favor do meu caro e augusto irmão Napoleão I, Imperador dos franceses, Rei de Itália, etc., etc., que foi benignamente servido conferir-me o mesmo aos 4 do presente mês [facto que se tornou público no seguinte dia 6]. Os meus desejos e a minha ambição têm sido vir à Espanha e tomar sobre mim o Governo do país, dedicar-me à felicidade e interesses do povo que a Providência tem entregue ao meu cuidado, e pôr em execução os regulamentos que se farão na Junta dos Representantes e Notáveis do Reino; a qual Junta está agora em Bayonne e será outra vez convocada naquele lugar aos 15 do corrente; em ordem a tomar em consideração os meios de estabelecer um Governo justo e permanente, e de colocar a Espanha, com todos os seus domínios exclusivos, em melhor pé, assegurando a sua independência e elevando-a àquela graduação, na escala das nações, em que ela antigamente se distinguiu, e que os seus habitantes são ainda dignos de gozar. Para conseguir estes fins, tenho aceitado a coroa. Apresso-me a fazer esta declaração do meu paternal cuidado pela vossa felicidade, e assegurar-vos que trabalharei igualmente pelo bem das mais remotas partes dos meus domínios. Confiando na minha Real palavra, continuareis a gozar de todos os vossos privilégios como bons vassalos. Continuai em paz nas vossas ocupações ordinárias, sede obedientes aos vossos superiores, e guardai-vos das maquinações daqueles que não lhes importam com as leis. A justiça deve ser administrada com imparcialidade, e eu ordenarei estritamente a todos os Magistrados que executem a minha vontade neste ponto. Olhai para mim como vosso Protector; eu tomarei sempre a peito os vossos interesses, e duplicarei os meus esforços para vos defender do ataque que meditam contra vós os implacáveis inimigos da Espanha. 
Eu ordeno a todos os Arcebispos, Bispos e Ministros da Religião, que eu prometo manter inviolável, que usem de toda a sua influência entre o povo para o fazer obediente às leis, e guardá-lo das perigosas consequências da sedição e traição. Eu repito a minha declaração, que o meu governo será fundado em justiça, e o meu único objecto será o fazer a vossas felicidade. Todos os Governadores, Juízes, etc., serão obrigados a dar a esta proclamação a maior publicidade. 
Dado em Bayonne, aos 11 de Junho de 1808.

Eu El-Rei

Por ordem de El-Rei nosso benigníssimo Soberano,



Sem comentários:

Enviar um comentário