segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Spanish-Patriots attacking the French-Banditti. Loyal Britons lending a lift, caricatura de James Gillray (15 de Agosto de 1808)




Patriotas espanhóis atacando os bandidos franceses. Leais bretões dando uma ajuda.
Caricatura de James Gillray, publicada a 15 de Agosto de 1808.


Publicada no mesmo dia em que Napoleão festejou os seus 39 anos, esta gravura ricamente detalhada satiriza as primeiras derrotas dos exércitos franceses na Espanha, criticando ao mesmo tempo a defesa do Ancien Régime por parte dum exército atípico donde sobressaem monges, bispos, freiras, e homens e mulheres da nobreza espanhola.



Em primeiro plano, à esquerda, duas damas espanholas (uma das quais levando um punhal ensanguentado pendurado à cintura) transportam balas para a boca dum canhão que está a ser calcado com um soquete por um monge, enquanto um nobre prepara-se para lançar fogo à peça com um morrão. No canto inferior esquerdo encontram-se barris de pólvora britânica.





Ao centro, também em primeiro plano, encontram-se freiras que empunham crucifixos e punhais ensanguentados. Uma delas, mais corpulenta, pisa um soldado francês que agoniza no chão, ao mesmo tempo que está prestes a esfaquear outro francês que agarra pelos cabelos, o qual apresenta uma expressão aterrorizada. 



Em segundo plano, no lado esquerdo, sobressaem alguns homens a cavalo, com espadas ensanguentadas, liderados por um bispo (que segura o seu báculo numa mão e na outra uma espada, também ensanguentada) e por um monge gordo que toca uma trombeta para animar a multidão de soldados. Estes últimos estão todos armados com lanças e em formação cerrada, e portam bandeiras com inscrições para animar a hoste: Viva a Liberdade, Vitória Espanhola, Viva o Rei Fernando VII. Note-se que entre o bispo e o monge também se vê uma imagem da Virgem Santa, a qual segura o menino com uma mão e uma espada com a outra. É talvez este o quadro que melhor ilustra a unidade então tão proclamada entre a Pátria, a Religião e a Monarquia.





Os motivos religiosos repetem-se em todo o lado esquerdo da gravura. Ao fundo, aparecem várias pessoas cercando uma grande cruz que está sobre o topo duma montanha, enquanto um pouco mais abaixo a artilharia espanhola (com uma bandeira da Liberdade e Lealdade) abre fogo sobre os franceses.



No lado direito, também ao fundo, vê-se em pequena escala uma multidão de soldados franceses fugindo em debandada, deixando para trás mortos, armas, tambores... Nas suas bandeiras podem-se ler expressões como A morte ou a vitória, Viva o Rei José e Dupont. Para além do cenário montanhoso, a aparição do nome do General Dupont remete inevitavelmente para a batalha de Bailén (no sopé da Sierra Morena), suposto cenário da batalha aqui representada.




No lado direito, em primeiro plano, vê-se um granadeiro britânico a trespassar com a baioneta do seu mosquete a dois dos franceses horrorizados e grotescos que aparecem mais à direita. Na sua barretina estão inscritas as letras G.R., que correspondem à expressão latina George Rex (Rei Jorge). Devemos aqui fazer um parêntesis para sublinhar, em termos de rigor histórico, que o exército britânico não participou na batalha de Bailén (de facto, o exército britânico forneceu pólvora e munições aos espanhóis e o corpo de Spencer chegou a desembarcar no Puerto de Santa María, perto de Cádis, mas pouco depois voltou a embarcar com destino a Portugal, sem ter tido qualquer tipo de confronto contra os franceses durante essa curta estadia no território espanhol). Na verdade, as primeiras tropas britânicas que lutaram contra os franceses na Península foram as comandadas por Wellesley, num pequeno confronto travado a sul de Óbidos, travado precisamente no dia em que esta caricatura foi publicada.


Note-se finalmente que um dos pés do referido granadeiro britânico pisa a bandeira duma suposta Legião Invencível do Exército francês, cujo portador jaz decapitado no chão...

________________________________________________________________

Sem comentários:

Enviar um comentário