quinta-feira, 14 de julho de 2011

Spanish Patriots entring Madrid, or the Grand Duke of Bergs retreat discovered, caricatura atribuída a Isac e/ou George Cruikshank (14 de Julho de 1808)




Patriotas espanhóis entrando em Madrid, ou a descoberta da retirada do Grão-Duque de Berg.

Caricatura atribuída a Isaac e/ou George Cruikshank, publicada a 14 de Julho de 1808.



Antes de mais, note-se que a caricatura representa algumas variações semânticas sobre a intitulada "retirada" de Murat. É certo que o termo retreat, em termos militares, significa precisamente "retirada", mas devemos observar que pode igualmente significar "retiro", "abrigo", refúgio" (e seus correspondentes verbos), e "lugar de privacidade". Por extensão, retreat também significava, em inglês antigo, o mesmo que privy ("privada"), ou seja, "retrete". Curiosamente, tanto em português como em castelhano antigo, o termo "retrete" (s. m.) tinha o significado, entre outros, de "aposento íntimo, e o mais recolhido, na parte mais secreta de casa" ou "quarto pequeno/casinha retirada", passando também por extensão a ter o significado moderno de "retrete". [Cf., entre outras obras, Rafael Bluteau, Diccionario da Lingua Portuguesa - Tomo Segundo (L-Z), Lisboa, Officina de Simão Thaddeo Ferreira, 1799, p. 341].
Feito este esclarecimento, vejamos como um grupo de patriotas espanhóis está prestes a descobrir Murat, retirado numa latrina. O seu líder, empunhando uma espingarda cuja baioneta aponta para o interior do "esconderijo" de Murat, encoraja os seus camaradas de armas: Vamos lá, meus bravos compatriotas: começo a sentir o seu cheiro, e apesar de termos tratado os ingleses tão mal, aquela generosa nação forneceu-nos dinheiro, armas e munições. Vamos lá, então. Vamos lá. Dentro da latrina, antes de esquivar-se por um buraco, um rato avisa o seu "homónimo" Murat (sobre este trocadilho ver o que aqui referimos): homónimo, caístes numa armadilha. Sem o chapéu e com o cabelo eriçado, e apresentando um aspecto pálido e enfermiço, Murat declara, nada satisfeito: Raios, ouço-os a chegar. Oh! Quão parvo fui em me tornar vice-Rei. Só queria estar de novo a bordo das galeras. Aos seus pés encontra-se uma folha de papel (talvez para limpar-se) onde se pode ler Para o General Murat. Papéis de Estado. Bayona


Outras digitalizações:

Sem comentários:

Enviar um comentário