sábado, 6 de agosto de 2011

Carta do General Bernardim Freire de Andrade ao Bispo e Presidente da Junta do Porto (6 de Agosto de 1808)



Ilustríssimo e Excelentíssimo Senhor:

Tenho a maior satisfação de participar a Vossa Excelência que no dia cinco do corrente chegámos a este Quartel-General, o que quisera anunciar a Vossa Excelência imediatamente, e o teria feito se o Estado das coisas não exigisse alguma demora para mais bem instruído nelas as poder expôr a Vossa Excelência, como passo a fazer. O General inglês, que pretende marchar quanto antes, como de facto o parecem exigir todas as circunstâncias, nos propôs uma conferência, que vai ter lugar amanhã em Montemor[-o-Velho]. Loison passou com efeito ao Alentejo com oito mil homens, segundo se diz constantemente. O seu desígnio nos é oculto; ele teve um encontro em Montemor[-o-Novo], outro em Patalim; e Évora, que lhe resistiu, foi por último entrada e saqueada, e dali avançou um corpo para Estremoz; Eles têm ainda em Abrantes oitocentos a mil homens. Tudo isto dá cuidado e merece grande atenção; maior a merece ainda o grande embaraço em que nos põe a falta das coisas mais essenciais, como meios para ultimar esta empresa. E a este respeito cumpre dizer a Vossa Excelência que a Caixa Militar que aqui se acha por ora está exaurida de dinheiro, tendo já despendido o que pediu; que os víveres ainda estão fornecidos por esta repartição, a qual não pode muito; nem o comissário que para aqui se enviou tem ordem para mais do que para fazer aprovisionamentos; e não se achando esta Repartição ainda montada, ele por isso nada faz e nada pode fazer. O ajudante do superintende ainda aqui não apareceu e por consequência está nula esta Repartição, sendo aliás a da maior importância; que os transportes que aqui há são poucos, e mal podem fornecer as requisições do Exército inglês. Precisa-se daí pelo menos cinquenta parelhas e trezentas bestas de carga que devem ser enviadas com toda a brevidade. E como se carece igualmente de todo o abarracamento que aí houver no Arsenal, as mesmas bestas o poderão conduzir assim como o mais que se requer numa relação que com esta será apresentada a Vossa Excelência e [que] é também de primeira necessidade. Queira também Vossa Excelência remeter logo [que seja] aprovada a proposta do Estado-Maior com a designação do soldo mensário de 24$000 ao Secretário do Exército e 10$ a cada um dos 4 oficiais da secretaria, como também a proposta do Batalhão de Caçadores de Trás-os-Montes, que agora se faz marchar e aqui se arma; visto que os ingleses nos forneceram já 3.400 armas e querem completar 5.000. Esta proposta, que se anunciou já ser aprovada, o deve ser. As propostas de Valença e [dos] Caçadores do porto que ficaram incumbidas ao Brigadeiro Vaz Parreiras são também da primeira necessidade, pela falta que temos de oficiais e precisão de marchas. Mais, devem vir logo cinquenta cavalos do Regimento n.º 6, prontos e em direitura a este quartel e os oficiais necessários para um Esquadrão; e no caso de isto sofrer alguma dificuldade, venha para aqui o Regimento n.º 6 e vá para essa cidade o Regimento n.º 9 no estado em que se achar.
No dia 4 se apresentou nesta cidade uma partida de 124 homens, homens de cavalo da Guarda da Polícia da Corte, que dela se evadiram com grande risco e por extraordinário; é uma tropa excelente e chegada oportunamente. Parece absolutamente indispensável em prémio e para exemplo conservar-lhes o soldo que tinham e dar aos oficiais inferiores as seguintes graduações: a de Tenentes aos dois primeiros Sargentos, a de Alferes aos outros quatro; assim o pratico interinamente enquanto não vem a aprovação da Junta. Da Cavalaria de António José Rodrigues, praça junta aos que têm vindo ultimamente, se vai formar um corpo de 3 Esquadrões, para lhe dar uma forma própria para poderem servir mais utilmente. Nomear-se-ão oficiais interinos mas é preciso que a Junta autorize esta criação, podendo ser este Regimento novo que se deve criar depois em Santarém. Conforme o que tenho podido alcançar, o projecto do General inglês é de que nós marchemos logo, mas para isto é indispensável que se aprovem já, além das recomendações acima, as propostas dos Corpos de Linha, como as de Caçadores e Milícias, porque sem oficiais não podemos contar com corpos, e neste momento não há mais remédio senão sairmos das regras ordinárias; é igualmente preciso que para aqui venha um Ministro autorizado, que faça pôr em movimento todas as molas desta máquina, e porque esta comissão pede uma actividade extraordinária e o negócio não sofre demoras, rogo a Vossa Excelência [para que] o remeta quanto antes, [e] poderia ser o que lembrou na conferência que com Vossa Excelência tivemos antes da nossa partida. Remeto a Vossa Excelência o extracto das notícias em que vai copiada uma carta que agora se recebe de Castelo Branco, e é de grande importância o seu conteúdo, se se verificar. 
Mando com este ofício Alexandre Alberto, oficial do Estado-Maior, para que me possa trazer aqui prontamente a resposta de Vossa Excelência e solicite aí a remessa das coisas que peço, e julgo ser da primeira necessidade que marchem para aqui imediatamente sobretudo dinheiro, devendo fazer-se neste momento os maiores esforços para o aprontar. Mais remeto a Vossa Excelência a distribuição dos Corpos do Exército. 
Deus guarde a Vossa Excelência.
Quartel-General de Coimbra, 6 de Agosto de 1808.

[Fonte: Luís Henrique Pacheco Simões (org.), "Serie chronologica da correspondencia diplomatica militar mais importante do General Bernardim Freire de Andrade, Commandante em Chefe do Exercito Portuguez destinado ao resgate de Lisboa com a Junta Provisional do Governo Supremo estabelecido na cidade do Porto e o Quartel General do Exercito Auxiliar de S. Magestade Britanica em Portugal", in Boletim do Arquivo Histórico Militar - Vol. I, Lisboa, 1930, pp. 153-227, pp. 166-167 (doc. 3)].

Sem comentários:

Enviar um comentário