sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Carta do Comendador Joaquim Pais de Sá, enviado ao Quartel-General britânico, ao General Bernardim Freire de Andrade (19 de Agosto de 1808)


Vimeiro, 19 de Agosto de 1808, pelas 6 horas da tarde.


Ilustríssimo e Excelentíssimo Senhor:

Ontem escrevi a Vossa Excelência e escreveu também o General [Wellesley], e se mandaram as cartas por um homem da Lourinhã, pois que os dois correios não apareceram senão esta manhã. O General em Chefe [Wellesley] deseja ver cooperar o Exército português com o seu, principalmente no momento da batalha, que naturalmente terá lugar por estes dois ou três dias.
Este lugar onde actualmente se acha todo o Exército não dista senão meia légua de Maceira, onde deve desembarcar mais tropa inglesa, e uma ao sul da Lourinhã. Se o tempo o permitir, desembarcarão amanhã, pois que o comboio está na costa, mas neste mesmo caso duvido que o Exército se ponha amanhã em marcha para Torres Vedras, que é daqui distante duas léguas. 
Parece certo que Junot, Loison e Delaborde (se é vivo) estão reunidos em Torres, mas creio que nada por ora se pode ajuizar aos seus ulteriores intentos. 
A respeito do combate de anteontem, em lugar de 1.500 entre mortos e feridos em que se reputa a perda dos franceses, eu percebi 500 a 600, e assim escrevi a Vossa Excelência.
De Vossa Excelência, etc., 

Joaquim Pais de Sá

[Fonte: Luís Henrique Pacheco Simões (org.), "Serie chronologica da correspondencia diplomatica militar mais importante do General Bernardim Freire de Andrade, Commandante em Chefe do Exercito Portuguez destinado ao resgate de Lisboa com a Junta Provisional do Governo Supremo estabelecido na cidade do Porto e o Quartel General do Exercito Auxiliar de S. Magestade Britanica em Portugal", in Boletim do Arquivo Histórico Militar - Vol. I, Lisboa, 1930, pp. 153-227, pp. 194-195 (doc. 25)].

Sem comentários:

Enviar um comentário