sábado, 30 de julho de 2011

Exortação do Bispo de Évora favorável aos franceses (30 de Julho de 1808)



Da Pacem Domine in diebus nostris. 
Dai-nos, Senhor, paz em nossos dias.

Dom Frei Manuel do Cenáculo Vilas Boas, por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica, Arcebispo Metropolitano de Évora, etc.
A todos os fiéis desta nossa diocese, saúde e bênção em Jesus Cristo. 

Acudir às urgências do povo com as instruções necessárias e avisos oportunos é da nossa obrigação pastoral. Nesta inquietação conseguinte às adopções do Governo é necessário fazer ver aos fiéis o perigo de um arbítrio que nem seja saudável nem útil. Quis a Providencia Divina que a nossa obediência a sujeição fosse dirigida e determinada pelo Governo do Invencível Napoleão. É necessário assentar em vaso firme, para a segurança dos nossos passos. A instrução apostólica não se ocupa de questões; o que de direito se nos apresenta é o que lemos nas Sagradas Escrituras: obedecer a quem nos preside. Isto assim observado vem a tranquilidade com todos os bens consecutivos. A este desempenho vos exorto e aconselho; certos em que esta obediência é acção cristã. Não há lugar para questões. Sempre delas se tira moléstia e desassossego. Por outra parte, nos bens negativos o bom cristão deve obrar em virtudes positivas: acreditar o melhor e obrar com aprovação meritória e decisiva. Isto assim entendido e tomado em justa resolução cumpramos, obedecendo aos Superiores da actual situação e do Império do Invencível Imperador e Rei Napoleão, e entremos em sossego no governo das nossas vidas, cada um na sorte que Deus nos dispensar. Viveremos contentes e em tranquilidade.
Dado em Évora, sob o nosso sinal, aos 30 de Julho de 1808.

Frei Manuel, Arcebispo de Évora

[Fonte: Frei Manuel do Cenáculo Villas-Boas, Diário - 5.º Códice, fls. 107-107v (disponível para consulta on-line na Biblioteca Digital do Alentejo)].


Sem comentários:

Enviar um comentário