sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Carta do Tenente-Coronel Murray ao General Dalrymple (26 de Agosto de 1808)





Lisboa, 26 de Agosto de 1808.

Meu caro Senhor:

Hoje de manhã eu e o General Kellermann pusemos mãos à obra, e progredimos com boa tolerância; espero que pelas doze horas de amanhã já tenhamos acabado.
Um dos artigos mais importantes que já estão escritos é o relativo à evacuação de Peniche, Almeida, Elvas e Palmela, assim que as nossas tropas consigam chegar para render as guarnições francesas, e de alguma forma para proteger a sua retirada.
Nos meus memorandos referia-se que as tropas francesas deviam ser obrigadas a atravessar para o outro lado do Tejo. Penso que este empurrão poderia levar a uma condescendência da nossa parte em relação a outros pontos realmente mais importantes, e a própria operação poderia tender a atrasar consideravelmente a preparação do embarque.
Foi feita uma proposta para levar o [navio] Vasco da Gama e algumas fragatas, face à qual declarei categoricamente que nunca poderia concordar. Eles querem ter os fortes de S. Julião e do Bugio até ao embarque da última divisão. Destes, penso que pelo menos o de S. Julião está fora de questão. Foi feita uma sugestão esta noite, sobre a troca de prisioneiros espanhóis por um número igual de franceses; penso que devemos tê-los sem troca.
Se vos tiver ocorrido uma outra sugestão que me possa ser útil, rogo para que ma forneceis assim que vos for possível.
Talvez seja aconselhável que ocorra um encontro entre os Comandantes em Chefe em Cascais, quando a ratificação for assinada; e se tal vos parecer devido, rogo-vos que mo informeis.
Acreditai em mim, etc., 

George Murray

Sem comentários:

Enviar um comentário