quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Carta do General Wellesley para o Almirante Charles Cotton (4 de Agosto de 1808)




Quartel-General de Lavos, 4 de Agosto de 1808 


Senhor: 

Acabei de ter a honra de receber os vossos ofícios dos dias 29 e 31, através do Scout
Na carta que tive a honra de vos enviar a 31 de Julho, pedia que se chegasse ao Tejo a frota que tem a bordo o General Spencer, ou a que tem os reforços vindos da Inglaterra, daríeis ordens para virem para a Figueira; deduzo assim que ordenastes à frota de transportes que tem a bordo o General Spencer para vir para aqui imediatamente. Considerando todas as informações que trocámos sobre o assunto do desembarque na baía de Lisboa, ou mais para norte, nos arredores do cabo da Roca, convenci-me que seria uma empresa perigosa para aqueles que o tentassem, tal como para aqueles que dependeriam da assistência e da cooperação das tropas que desembarcassem aí, como previsto. Em relação ao desembarque no território a sul do Tejo, pareceu-me que provocaria uma divisão da nossa força, possivelmente com más consequências para uma ou mesmo para ambas as partes; e por isso, perante todas as circunstâncias, pensei que seria melhor concentrar a nossa força sem demora e desembarcar tudo aqui, que em todos aspectos é o melhor lugar que se pode escolher para executar o ataque sobre a força do inimigo em Portugal. Com estes fundamentos, pedi-vos para enviardes o General Spencer para aqui, e, esperando pela sua chegada, desembarquei o meu próprio corpo, e espero apenas pela sua junção para começar as minhas operações. 
Estou plenamente consciente da vantagem que teremos ao desviarmos a atenção do inimigo sobre a baía da Lisboa, durante a minha marcha até essa cidade; e proponho, com o vosso acordo, enviar para a esquadra um batalhão que não é muito competente para fazer uma marcha activa, mas que pode permitir-vos, com a assistência dos soldados da marinha da esquadra, que façais uma diversão muito oportuna a meu favor. 
Tinha ouvido um rumor sobre um destacamento do exército francês que atravessara o Tejo, e receei pelo destino do destacamento espanhol no Alentejo; e fico contente em saber agora, através duma boa autoridade, que esse destacamento [francês] regressou para o norte [do Tejo]. 
Tenho a honra de ser, etc. 

Arthur Wellesley 

[Fonte: Lieut. Colonel Gurwood (org.), The Dispatches of Field Marshal the Duke of Wellington, K. G. during his various campaigns in India, Denmark, Portugal, Spain, the Low Countries, and France, from 1799 to 1818 – Volume Fourth, London, John Murray, 1835, pp. 48-49].

Sem comentários:

Enviar um comentário