quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A entrada das tropas invasoras em Portugal


Fonte: Wikipédia
Ponte de Alcantára, sobre o rio Tejo 





Depois de marchas forçadas por caminhos bravios e serras, acompanhadas por chuva incessante e até um pouco de neve (à saída de Salamanca), e de grande parte dos seus homens, cavalaria, artilharia e munições terem ficado para trás, Junot consegue-se reunir, em Ciudad Rodrigo, com um corpo de cerca de 7.500 espanhóis comandados pelo General Carrafa. Uma vez aí, Junot ordena que se preparem em Alcántara rações para para 4 dias, pois sabia que a região portuguesa onde ia entrar não estava melhor abastecida do que a que tinham acabado de passar. No entanto, como ele próprio escreverá a Napoleão, chegando a Alcántara, no dia 17, "lá não encontrámos nada, nem sequer para o dia de chegada"... 
Pese este grande contratempo, Junot envia no dia seguinte uma tropa de reconhecimento do terreno até ao ao Rosmaninhal, que comprovaram que os mapas que tinham eram bastante inexactos. Finalmente, no dia 19, Junot ordena que comece a entrar a vanguarda do exército invasor no território português. Essa vanguarda era composta por:


300 homens de cavalaria ligeira espanhola;
1 companhia de mineiros - entre 100 a 200 homens (?);
70.º Regimento de linha - cerca de 2500 homens.




Na madrugada do dia 20 entra o resto da 1.ª divisão, comandada por Junot:


Fonte: Panoramio
Ponte de Segura, unindo Portugal e Espanha



1.ª Brigada:
                 15.º Regimento de linha - 1040 homens;
                  47º Regimento de linha - 1280 homens;
                      1 Batalhão do 4.º Regimento suíço - 1300 homens;
                      1 Companhia de Artilharia ligeira espanhola, com as suas 6 peças de canhão;
2.ª Brigada:
                  86.º Regimento de linha - 2490 homens;
                      1 Regimento espanhol de Infantaria (Mallorca) - 1500 homens;
                      1 Companhia de Artilharia ligeira com 6 peças.














Ver mapa maior

Percurso das primeiras tropas a entrarem em Portugal: de Alcántara ao Rosmaninhal, passando por Segura

Sem comentários:

Enviar um comentário