quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Carta de vários negociantes de Coimbra para Sir Arthur Wellesley, oferecendo-lhe um refresco para o seu exército (3 de Agosto de 1808)



Excelentíssimo Senhor General em Chefe das tropas de Sua Majestade Britânica: 

Senhor: 
Apesar do esgotamento universal a que nos reduziram as rapinas dos nossos bárbaros hóspedes, ainda nos resta o sentimento da gratidão. As Nações inglesa e portuguesa, no meio de todas as diversas crises políticas, foram sempre leais e sempre amigas; porém, na presente ocasião, em que lutávamos com grande valor, mas mal armados, contra um inimigo feroz, nem os nossos desejos podiam voar tanto como os socorros que o vosso grande Monarca e a vossa ilustre Nação nos enviam. 
Em testemunho da nossa sincera amizade, do nosso sumo prazer, e do vivo interesse que tomamos pela prosperidade da Grã-Bretanha, nos afoitamos a remeter-vos esse pequeno refresco, correspondendo ao nosso actual estado, mas não aos nossos desejos. 
Confiamos que V.ª Ex.ª desculpe o arrojo que tomam os negociantes da praça de Coimbra abaixo assinados. 
Coimbra, 3 de Agosto de 1808. 

Costa, Almeida, Freitas & C.ª
André Alves Leite
Marcos José Gonçalves & C.ª
Joaquim Freire de Macedo & Irmão
João Fernandes Guimarães & C.ª
António José de Barros
Manuel José Rodrigues & Irmão
Francisco António de Macedo
João Ferreira Maia
José Rodrigues de Macedo & Filhos
João Lopes de Sousa & C.ª
Francisco Pereira
José António Ferreira de Castro
José Maria da Encarnação
Francisco José Ferreira Guimarães
Manuel Fernandes Guimarães & C.ª 
José Dias de Miranda & C.ª

[Fonte: Minerva Lusitana, n.º 21, 16 de Agosto de 1808; Simão José da Luz Soriano, História da Guerra Civil e do Estabelecimento do Governo Parlamentar em Portugal. Compreendendo a História Diplomática, Militar e Política deste Reino, desde 1777 até 1834 – Segunda Época - Tomo V – Parte I, Lisboa, Imprensa Nacional, 1893, pp. 94-95].

Sem comentários:

Enviar um comentário