quarta-feira, 13 de julho de 2011

Proclamação do Coronel António Hipólito da Costa, comandante do Regimento de Infantaria de Lagos, aos seus camaradas de Monchique (13 de Julho de 1808)




O nosso General e Presidente do Supremo [Governo] da Regência deste Reino do Algarve determinou que se organizassem os Regimentos com 1.600 praças, como tinham no feliz Governo do nosso Augusto Príncipe Regente, visto que está restaurada a nossa Monarquia e em pé as saudáveis leis que faziam a nossa felicidade. É pois chegada a hora, intrépidos e honrados camaradas, de defendermos a pátria, a sagrada religião e o Estado, unindo-nos ao Regimento onde temos a glória de existirem ainda as bandeiras que nós, com toda a felicidade e amor, juramos não desamparar, antes sim derramar todo o nosso sangue em sua defesa, prestando a mais cega obediência aos nossos superiores, base a mais sólida das monarquias e que de uma vez nos fará sacudir o jugo e escravidão em que nos faziam vergonhosamente jazer os malvados franceses. É com a nossa armada, auxiliada pelos nossos amigos e fiéis aliados ingleses e pelos valorosos espanhóis, igualmente sofredores da nossa desgraçada sorte, que poderemos conseguir a independência. Camaradas! Sem perda de tempo concorrei a alistar-vos no nosso Regimento, assim como já o fizeram mais de 700 dos nossos antigos camaradas, além do grande número de voluntários que, com ardor, zelo e patriotismo, correram a procurar a glória de defender a pátria. Para a subsistência de todos se tem providenciado, vencendo cada praça, diariamente, pão, soldo e etapa*, principiando os seus vencimentos no dia em que se me apresentarem ou se apresentarem no Regimento. Eia Camaradas! Com constância e honra corramos a defender os nossos direitos, os sagrados direitos da religião e os da monarquia, decapitando o inimigo comum e colocando e segurando no trono o nosso Augusto Príncipe.
Monchique, 13 de Julho de 1808.

António Hipólito da Costa

[Fonte: Manoel João Paulo Rocha, Monographia - As forças militares de Lagos nas Guerras da Restauração e Peninsular e nas pugnas pela liberdade, Porto, Typographia Universal, 1909, pp. 207-208 (existe uma reedição pela editora Algarve em Foco, com o título Monografia de Lagos)].

_____________________________________________________________

Nota: 

Etape, no original - ração de tropas em marcha.

Sem comentários:

Enviar um comentário