segunda-feira, 25 de julho de 2011

Notícias publicadas no Correio Braziliense relativas às movimentações dos exércitos portugueses, franceses e ingleses em Portugal (25 de Julho de 1808)



Porto, 25 de Julho 


O General Loison, que havia sido mandado por Junot a tomar posse do Porto, recolheu-se a Lisboa de se lhe haver frustrado a empresa e ter perdido grande parte do corpo que comandava. Depois partiu para Santarém, para formar aqui um posto avançado a Junot, sobre a estrada de Coimbra e caminho de Abrantes; ao mesmo tempo que o General Laborde se postou em Leiria para comandar a estrada nova de Coimbra. Junot concentrou em Lisboa as forças que tinha em Évora e Elvas, com o que tem junto um exército de 16.000 homens. 
O exército dos patriotas portugueses se avançou até Coimbra, e consiste agora das seguintes tropas:

Infantaria regular


7.000
Infantaria de milícia


10.000
Infantaria de ordenança


15.000
Cavalaria montada


500
Cavalaria desmontada


1.000


Total
33.500


O General Manuel Jorge Gomes de Sepúlveda dispunha-se, com as tropas que ajuntou de Trás-os-Montes, a investir [sobre] Almeida, onde havia uma guarnição francesa. 
O General Arthur Wellesley chegou com a divisão do seu comando a Coruña e saltou em terra; mas logo tornou a embarcar e procedeu em sua viagem; aos 23 do corrente desembarcou no Porto, e no dia seguinte, havendo tratado com o Governo, tornou para a esquadra inglesa tomando a derrota do sul. 
Aos 12 de Julho desembarcaram na Figueira 350 soldados de marinha da esquadra inglesa; e neste mesmo dia entraram no Porto 64 soldados franceses que os estudantes aprisionaram em Coimbra.


Sem comentários:

Enviar um comentário