terça-feira, 17 de maio de 2011

Três cartas do Comandante General da Extremadura sobre um incidente em Talavera de la Reina envolvendo um Coronel francês (17 de Maio de 1808)





À vila de Talavera, em 17 de Maio.

Um Coronel francês que acaba de chegar numa diligência de correio declarou-me que nessa vila, enquanto se ocupava dos cavalos, disse um paisano a um criado seu que por três ou quatro dias aguentavam mas que, depois, o primeiro que passasse pagaria tudo. Já sabe você as ordens tão rigorosas do Governo, que lhe comuniquei, encarregando a maior harmonia e bom trato com a tropa e passageiros da nação francesa, e agora novamente lhe encarrego, debaixo da responsabilidade da sua pessoa e dos seus bens, do seu cumprimento; e para evitar estes e semelhantes insultos, se valerá de patrulhas de homens honrados[?] e do Sargento e tropa que tem nessa vila, fazendo que se ache expedido o trânsito por essa vila e no sítio onde se encontra a casa da posta, pois de modo contrário darei parte à Junta Superior do Governo. 
Deus &tc. 


***



Ao Sargento Comandante da Partida em Talavera.


Badajoz, 17 de Maio de 1808 


Chegou ao meu conhecimento, por um Coronel francês que veio em diligência postal, que alguns paisanos dessa povoação provocaram o seu criado com palavras nada conformes ao bom tratamento que tenho ordenado que se dê a toda a tropa e passageiros da nação francesa; e para que não volte a notar-se semelhante desordem, contribuirá você com os meios possíveis às disposições dessa justiça, postando alguns dos Hussardos da sua partida na rua do trânsito e especialmente nas imediações da casa onde se encontram os cavalos da posta, para impedir que os paisanos se aproximem dos passageiros, e não omitindo você quanto saiba para contribuir a que se guarde a melhor harmonia com os daquela nação, apresentando-lhes quantos auxílios sejam possíveis, como está avisado. 
Deus &tc.


***


[Aos Comandantes das Partidas]


Badajoz, 17 de Maio de 1808


A fim de que as tropas e transeuntes da nação francesa experimentem os auxílios e boa harmonia que tão repetidamente me encarregam os superiores, vós contribuireis com os meios possíveis à disposição dessa justiça, postando nas ruas do trânsito e especialmente nas imediações da casa da posta (se existir) alguma tropa da que esteja a vosso cargo, com o fim de impedir que os paisanos se aproximem dos passageiros franceses e evitar por este meio algumas palavras ou acções que se oponham ao bom tratamento que se lhes deve dar, pois a menor falta que a este respeito se experimente será a vós imputada.
Deus &tc.

_________________________________________________________

[Fonte: Correspondencia del Comandante General de Extremadura, sobre la entrada de tropas españolas en Portugal a finales d e 1807, la llegada del Ejército francés a la región, su aprovisionamiento y colaboración con él de las autoridades españolas de Extremadura a comienzos de la guerrain Archivo Histórico Nacional de España, ES.28079.AHN/5.1.145.4.1.1.57.2//DIVERSOS-COLECCIONES,136,N.31]. 

Sem comentários:

Enviar um comentário