domingo, 6 de dezembro de 2009

Obra "inédita" e recomendável

Perdoem os interessados, mas algumas das entradas anteriores foram reelaboradas sobretudo devido ao conhecimento recente da seguinte obra:



Trata-se de um interessante texto manuscrito (que nunca foi impresso), riquíssimo em informação sobre o período e local aludidos no respectivo título, contendo mais de cinquenta documentos (alguns dos quais inéditos noutras fontes), entre legislação, proclamações e epístolas portuguesas, francesas e espanholas. Como se depreende da sua leitura, no dia 3 de Fevereiro de 1808 o autor saiu de Portugal (provavelmente em direcção do Brasil, através dalgum navio inglês). Segundo parece, esta obra destinava-se ao príncipe regente, pois várias vezes surge a interpelação Vossa Alteza Real. Aliás, como refere o autor no fim deste importante documento, 


Quanto tenho escrito, Senhor, não é exagerado nem fabuloso, 
e por isso se faz digna esta Memória de ser apresentada aos Reais pés de Vossa Alteza Real 
pelo seu mais humilde e fiel vassalo, D. A. B. M. B.



As iniciais referem-se a Domingos Alves Branco Muniz [sic] Barreto, militar e maçónico nascido e falecido no Brasil. Esta obra encontra-se disponível no fundo da Biblioteca Nacional Digital do Brasil, e podem acedê-la aqui ou clicando na imagem da folha de rosto.


Sobre o autor, consultar o Diccionario Bibliographico Brazileiro pelo doutor Augusto Victorino Alves Sacramento Blake - II Volume, Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1893, pp. 189-190.

Sem comentários:

Enviar um comentário