segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Tratados de Tilsit






A 14 de Junho de 1807, Napoleão vencia os russos na batalha de Friedland, depois de 23 horas de combate. Cinco dias depois, o Imperador russo, Alexandre I, decide estabelecer um acordo de paz. Finalmente, após vários dias de conversações, é assinado o Tratado de Tilsit (7 de Julho), onde se determinava o apogeu da política napoleónica.





Encontro dos dois imperadores no meio do rio Neman, onde foi acordado oTratado de Tilsit
(pintura de Adolphe Roehn)
Fonte: Wikipedia




Entre outros termos, previa-se o fim das monarquias ibéricas reinadas pela Casa de Bragança e pelos Bourbons:


Art.º 1º - A Russia tomará posse da Turquia na Europa e levará as suas conquistas pela Ásia dentro até aonde lhe fizer conta.
Art.º 2º - Cessarão de existir as dinastias dos Bourbon em Espanha e dos Bragança em Portugal: um príncipe da família do Imperador Napoleão, será revestido da Coroa destes Reinos.
Art.º 3º - A autoridade temporal do Papa cessará, e Roma com as suas dependências, será unida ao Reino de Itália.
Art.º 4º - A Rússia obriga-se a ajudar a França em conquistar Gibraltar.
Art.º 5º - As cidades de África, a saber: Tunis, Argel, etc, ficarão possuídas pela França, e depois da paz geral, todas as conquistas que a França tiver feito em África durante a guerra, serão dadas como indemnização aos reis de Sardenha e Sicília.
Art.º 6º - Malta será ocupada pelos franceses e a França jamais fará a paz com Inglaterra sem que ela lhe ceda esta Ilha.
Art.º 7º - O Egipto será ocupado pelos franceses. A França, Rússia, Espanha e Itália terão o direito de navegação no Mediterrâneo - todos os outros serão excluídos.
Art.º 8º - Não se declara o seu conteúdo.
Art.º 9º - A Dinamarca será indemnizada no Norte de Alemanha, e nas cidades Hanseáticas se ela ceder a sua Esquadra à França.
Art. 10º - Suas Majestades de França e Rússia, farão um ajuste, pelo qual, nenhuma Potência para o futuro terá direito de fazer navegar embarcações mercantes, excepto mandando-lhes um certo número de navios de guerra.
(in Cristovão Aires de Magalhães Sepulveda, História orgânica e política do Exército Português, Provas, Volume XVII, Invasão de Junot em Portugal, I, Coimbra, Imprensa da Universidade, 1932, pp. 92-93)

Dois dias depois (9 de Julho) a França assina um outro Tratado de Tilsit com a Prússia, que perde então cerca de metade do seu território, que por sua vez dá origem ao Reino de Westphalie, um dos quatro reinos da Confederação do Reno, espécie de Estado-satélite do Império francês.

Sem comentários:

Enviar um comentário